Wesley Brasil – Guia
15/05/2016, 6:26 pm

Festa ‘Dope.’ acontecerá em prédio abandonado

- • -

'Prédio dos gatinhos' será o palco da próxima edição

Wesley Brasil – Guia
13/05/2016, 1:18 am

Fim-de-semana tem MPB, Wesley Safadão, Wilson das Neves e food trucks

- • -

Programação tem eventos gratuitos, preços populares e baladas noturnas

Wesley Brasil – Opinião
30/04/2016, 3:34 pm

O Dia da Baixada é pra comemorar sim

- • -

Minha perspectiva mudou ao longo dos anos, e a sua vai mudar também

Wesley Brasil
25/04/2016, 4:18 am

Sem título, 22/04/2016

- • -

De cabeça baixa, Ribamar ae esconde pelas sombras. Um poste aqui, uma marquise ali, uma parede acolá: tudo servia de abrigo para a chuva de imbecilidades dos bares da cidade.

No bolso direito um cantil de whisky. Na mão, uma maçã. Verde. Daquelas bem bonitas, parecem até cenográficas. De fome Ribamar não morreria. Não essa noite. Talvez de câncer ou algum outro mal piorado pela fumaça da cidade.

Ribamar só queria partir em silêncio.

Wesley Brasil – Guia
21/04/2016, 11:53 am

Rodas culturais ligadas ao skate se unem na sexta-feira com atrações locais

- • -

MusicAção na Pista e Roda Cultural da Praça do Skate farão edição conjunta em Nova Iguaçu

Wesley Brasil
16/04/2016, 3:24 am

A flora das costuras

- • -

Descabelada. Se sentia protegida ao lado do rapaz magrinho que vestia boné de aba reta. Ô menina, teus cachinhos pretos, deitados nesses ombros caídos, não escondem sua tristeza.

Berenice disfarçava o sorriso amarelo. Baixava a cabeça, fingia cantarolar a música brega no rádio, olhava para os lados e procurava toda e qualquer distração possível. Tão franzina, tão indefesa, que o moço do seu lado não sabia nem como abraçar.

Vai ver, até desmontava se o amor fosse muito grande.

Das noites sem dormir, Berê herdou uma olheira feia pra chuchu. A contragosto passava maquiagem, tinha que ser bonita, tinha que sorrir, tinha que ser magra, tinha que tantas coisas, que o rapaz era só um item na lista das obrigações.

Passeava pra lá e pra cá com o namoradinho e vestia sempre um vestidinho florido que só mudava a flora das costuras.

Semana passada o menino quis terminar. Sem dinheiro, sem tempo, a culpa não é sua e um montão de outras desculpas. Em lágrimas, Berenice parecia que ia mesmo morrer. Aquele rosto branquinho, tão vermelho que dava dó. Chora não, Berê. Ele não te merece. Você tem um tantão de sonhos e ele não apoiava nenhum deles. Vai lá ser arquiteta, mecânica, engenheira ou até pedreira, por que não?

Anteontem avistei Berenice na rua. Blusinha preta, sem maquiagem e uma calça jeans nova. Tava dando confiança pra ninguém.

Só pra si mesma.

Wesley Brasil – SB Notícias
12/04/2016, 4:28 am

Festival de Música Popular da Baixada abre inscrições para artistas da região

- • -

Artistas da nova safra musical autoral da MPB ganharão espaço

Wesley Brasil – VOZ DAS COMUNIDADES
6/04/2016, 6:50 pm

O sucesso da quebrada incomoda

- • -

Domingo. Uns vão no jornaleiro, mas eu prefiro o xorume da internet. Sabe como é, tá tudo ali, pertinho, só clicar. E nessa de “só clicar”, brota um ódio do sucesso bem mais fácil de identificar. O caô todo gira em torno da grana. Quando alguém da quebrada ganha grana e ocupa o espaço que...

Wesley Brasil – SB Notícias
5/04/2016, 7:59 pm

Coletivo F.A.L.A. promove ações no Lote XV durante Mês da Baixada

- • -

Literatura, rock, hiphop e jazz estão entre os temas das atividades

Wesley Brasil – Opinião
1/04/2016, 3:01 am

O que realmente podemos esperar do Dia da Baixada 2016?

- • -

O 30 de abril precisa ser lembrado por mais pessoas

Wesley Brasil – SB Notícias
28/03/2016, 11:00 am

Roda cultural comemora um ano com festa de rua

- • -

Ramonzin, Marcão Baixada, Sant e outros nomes do rap vão animar a noite

Wesley Brasil – SB Notícias
27/03/2016, 1:40 pm

Mate com Angu exibe ‘O Menino e o Mundo’ na sessão de março

- • -

Filme indicado ao oscar desembarca em Duque de Caxias

Wesley Brasil
25/03/2016, 10:40 pm

Primeira chuva de outono

- • -

Quão profundo pode ser o amor? Até onde ele é capaz de ir? Quais montanhas a fé precisa mover até o amor alcançar toda a sua força?

Berenice está ajoelhada na chuva, com as mãos erguidas para o céu e um bilhete já borrado se equilibrando na palma da mão direita. Lágrimas se confundem com as primeiras gotas do outono que caem do céu.

Já é tarde.

Berê não entende muita coisa. Seu corpinho frágil vai pegar um resfriado, sai da chuva, menina!

Era pra ser um amor de verão, era pra ser aquele rapaz que ela conheceu nas férias, um amor de carnaval que morre na quarta de cinzas. Mas Berenice, tadinha, não entende isso. Ela não entende muita coisa e uma delas é esse tal de amor.

Quanto tempo dura o amor? Tem uns que começam na juventude e não acabam nem com cabelos brancos. Tem uns que duram anos. Tem outros que não se medem pelo tempo nem pela distância. E tem aqueles que duram só até o desfile das campeãs, coroando com um beijo as memórias mais doces de uma juventude.

Berenice queria transpôr todas as montanhas necessárias, mesmo naquela chuva, pra encontrar seu amor perdido numa estrada asfaltada, daquelas que levam pra cidade grande. Cansada daquela vidinha na beira do mar, crescendo entre pescadores e artesãos, a mocinha estava determinada a descobrir a profundidade do amor, embarcando no próximo ônibus.

“Te amei”, dizia o bilhete, com um número de telefone já apagado pela chuva. Mas isso já não importava.

Berenice sabia muito bem que o amor, meus caros, o amor às vezes é feito só pra guardar na memória.

Berenice continua na chuva. Agora com os braços repousando nos joelhos enquanto dá um sorrisinho curto, igualzinho a esse que você dá quando lembra de uma paixão bonita que viveu há tantos anos atrás.

Às vezes o amor é feito pra durar um banho de água fria com gotas de chuva.

Wesley Brasil – SB Notícias
21/03/2016, 3:16 pm

Caxias: Jardim Gramacho terá mutirão de graffiti

- • -

Evento é a primeira etapa para criação de uma oficina no bairro

Wesley Brasil – VOZ DAS COMUNIDADES
17/03/2016, 9:30 pm

A figura do macho alfa não me representa não

- • -

Bruto, mulherengo e barbudo: muitos caras não querem ser assim Pois é, vim chover no molhado mais uma vez. Tô me superando na abordagem do óbvio – e a autocrítica é uma das muitas características ausentes na figura do macho alfa. Cresci sendo o nerd da turma. Aquele comunistazinho pentelho no meio da criançada. Lembro...

Wesley Brasil – Opinião
17/03/2016, 8:20 pm

As incertezas políticas não mudam as certezas do dia-a-dia

- • -

Como o cenário político nacional influencia, de maneira prática, na vida das pessoas?

Wesley Brasil
12/03/2016, 12:31 am

Pra andar de mão dada

- • -

Sentimento de posse sim, e daí? Porque tem coisa mais gostosa do que encher a boca e dizer “sou dela”? Pode jogar pedra, atirar o pau no gato aqui. Nem vou desviar: sou um cordeiro, confesso, em pele de lobo.

Vale o romance.

Fico me perguntando como é aquela menina pra andar de mãos dadas. Repare, não disse “mulher”, disse “menina”. Não é um lance meio Nabokov, é um papo de amor bonito, aquele bonitinho, que a gente só sente mesmo antes dos 20 anos. Sabe aquele amor cheio de certezas, cheio de planos, cheio de expectativas que enchem o peito da gente de coisa boa? Então, esse aí mesmo. E isso, meu caro, você sente quando ainda é garoto.

Tenho o privilégio de sentir isso aí. Talvez sem a inocência de um bom moço e sem a santidade juvenil de quem só quer andar de mãozinha dada no shopping. Mas tá lá, oprimido, bem no fundo, aquele desejo profundo de ser o menino daquela menina.

No player, “A love supreme” começa a tocar. Nós dois de mãos dadas, apreciando a chuva fina que enche nossos rostos de reflexos da cidade que começa a se preparar pra dormir. Ainda são oito horas e o povo cansado rasteja pra casa enquanto nós, sem ver o relógio, só olhamos pro alto e gargalhamos da vida.

De mãos dadas.

Vestidinho florido, claro, e nos nossos fones de ouvido toca um John Coltrane suave, tão cool quanto nosso amor. Não só amor: é carinho mesmo. Um tantinho assim de posse.

Pode confessar também, meu ogro leitor: você quer sim assinar o contrato. Bem lá no fundo, quando ninguém tá vendo, você olha no espelho e considera a hipótese de se apegar. De entregar seu coração nas mãos de alguém, enquanto você sente medo do que vai acontecer com ele.

Mas tudo bem. Só de entregar a mão já um gesto danado de amor declarado.

Wesley Brasil – Guia
11/03/2016, 2:46 pm

Fim de semana tem batalha de rap, cineclube, shows e festas na Baixada Fluminense

- • -

Programação variada tem diversão para todos os gostos

Wesley Brasil
3/03/2016, 11:01 am

Um doce de engarrafamento

- • -

Casal maldito. No ônibus cheio, inundado de gente com calor, cada carícia que trocam é uma bofetada em cada passageiro. Calorão, pessoas suando, fedendo, se abanando, murmurando e até respirando.

Engarrafamento.

Não bastasse o climão, o coletivo pára atrás do caminhão do lixo. Quinze segundos depois começa a sinfonia de buzinas desesperadas. E o casal ali, com seu amor monumental, entre risadinhas e olhares com direito a cochichar ao pé do ouvido.

- Aí não! Aí é sem vergonhice demais! - brada Tião, o velhinho mais brabo do banco amarelo.

Do alto dos seus sabe-se-lá e tantos anos, ajeita a dentadura e resolve tomar uma atitude. Sua inimiga artrose tenta impedir o movimento enquanto a diabetes vem pelos flancos baixando a glicose.

- Alguém me ajuda!

O casal pára imediatamente sua melação (o corretor disse “relação”, veja só a ironia). Assustada, a mocinha agarra sua bolsa enquanto seu namorado abana o pobre velhinho.

- Preciso de açúcar, estou passando mal! - o velhinho diz, com cara de gato pidão querendo sair.

Então Berenice, tão delicada e inocente, se acalma com a bolsa e começa a cavucar à procura de um docinho pro vovô, já nas últimas.

Seu Tião não consegue conter a felicidade ao devorar uma balinha de côco.

Wesley Brasil
2/03/2016, 7:01 pm

Você é hoje seu reflexo amanhã

- • -

[Texto publicado originalmente no jornal escolar “Visão 228″, do CIEP Darcy Vargas, onde ajudei a realizar o MOFxp - intervenção artística que revitalizou boa parte da escola]

Tudo que fiz na adolescência teve algum reflexo na vida adulta. É impressionante como um período tão curto de tempo pode influenciar o rumo da sua vida inteira!

Fui membro do grêmio estudantil na minha escola. Naquela época, tive que aprender a lidar com diretoria, alunos e professores. Com o passar dos anos entendi que o nome disso era “articulação” e é uma das coisas que mais fiz na vida adulta. Por exemplo, pra gente realizar a pintura da quadra e das paredes do 228 foi necessária muita articulação.

Imagine só: tive que falar a língua dos alunos, dos grafiteiros, da diretoria da escola e da empresa que ajudou com as tintas. Todo mundo tinha que sair feliz e só com muita articulação esse projeto sairia do papel. No fim das contas, a força dos alunos foi fundamental pra gente ver tudo pronto. Muitos de vocês, alunos, podem não fazer ideia do trabalho que a gente tem “por trás das câmeras”, mas como aproveitei ao máximo minha adolescência no grêmio estudantil, pude trabalhar nessa tal articulação e ver tudo funcionando sem grandes problemas.

E você? Como você está aproveitando seu tempo? Quais habilidades você está desenvolvendo? Talvez o desenhista de hoje seja um grande designer amanhã. Talvez aquela aluna que escreve super bem seja uma jornalista no futuro. Aquele garoto que só quer saber de videogame pode ser o inventor do próximo Facebook. Aquela menina que só quer saber de maquiagem pode ser uma maquiadora de mão cheia.

O que realmente importa, no momento, é desenvolver suas habilidades. Muitos vão te dizer pra escolher agora o seu futuro, sem contar no tal do ENEM e a escolha do curso na faculdade. Não se preocupe demais com isso. Use seu tempo pra conhecer a si mesmo cada vez melhor.

Seja qual for sua ocupação hoje, faça o seu melhor. Isso pode ser muito útil amanhã - as pinturas da escola que o digam!

Wesley Brasil – SB Notícias
2/03/2016, 5:43 pm

Rádio Nacional terá programa semanal sobre a Baixada Fluminense

- • -

Iniciativa acontece após temporada de transmissões ao vivo na região

Wesley Brasil
2/03/2016, 1:53 pm

Banho de shopping

- • -

Shopping. Ribamar disfarça sua embriaguez com um banho que há muito tempo não tomava. Ele não faz a menor ideia de como foi parar ali, só sabe que está lá, relativamente cheiroso no meio daquelas pessoas felizes.

Pessoas sorrindo.

Afogado em pinga, sente um leve cheiro de sabonete. Ele sabe que aquele banho pode ter custado caro, afinal ninguém dá nada sem querer algo em troca.

Não existe almoço grátis.

Barulho de criança. Rapazes de jeans apertados. Moças dos shorts curtos, mesmo estando num dia chuvoso. Amigas sorrindo umas pras outras. Casais jovens trocando afeto. Vó e neto de mãos dadas.

Por um instante, o bêbado percebe que a rua não é seu único lugar. Ele desconfia haver vida fora da sarjeta e se impressiona com as pessoas educadas. O senhor deseja mais alguma coisa?

Mais uma dose. Por gentileza.

Wesley Brasil – Blog da Re(d)ação
29/02/2016, 4:06 pm

[EDITORIAL] As mulheres tomaram o Site da Baixada

- • -

O mês de março é a nossa oportunidade de fazer diferente daqui em diante

Wesley Brasil – VOZ DAS COMUNIDADES
18/02/2016, 8:30 pm

Dinheiro no bolso ou um legado na história?

- • -

Relaxe: esse não é um daqueles papos de auto-ajuda que mostram a importância de sonhar. Prefiro o papo reto, mesmo que num caminho sinuoso. Tava papeando com um amigo e tal, desses papos cabeça que a gente vai fundo nas tardes de verão sob o ar-condicionado quando se tem algum tempo pra parar pra respirar...

Wesley Brasil
16/02/2016, 2:04 am

Água, comida e abrigo

- • -

Acredito cegamente que a vida trata-se de uma grande jornada cujo primeiro capítulo é o nascimento e o último, bem, é a morte. O que realmente importa não é como a história começa, mas sim como ela termina. Quais aventuras você encarou até chegar esse tal grande dia. Mas não vim aqui celebrar a morte, pelo contrário, quero mesmo celebrar a vida. Afinal, a melhor parte de um livro não é como termina, mas como ele é contado.

Se seguimos numa jornada louca com final previsível, é importante que ela valha à pena. No meio do caminho a gente acumula tanta carga que às vezes fica difícil seguir em frente. Essa jornada é um caminho sem volta, então nem adianta a gente pensar na hipótese de virar pra página anterior e reescrever.

A vida não tem ctrl+z.

Tenho a sensação que cada trabalho, cada relacionamento, cada troca que temos com outras pessoas pode se tornar uma carga nova pra gente carregar. Às vezes essas cargas são leves e em outras são essenciais. Mas depois de apenas três décadas de jornada, comecei a desconfiar que a grande maioria da carga que a gente carrega é desnecessária. É puro refugo, mas a gente insiste em ver valor onde não tem.

Talvez você, leitor, fique se perguntando sobre “propósito”. De fato, acredito sim que a vida tem um propósito - mas essa crença é pessoal e pouco transferível. Não dá pra gente debater muito a respeito disso e chegar em, digamos, um “propósito” comum para todos os humanos.

O que dá pra entender é que alguns encontram seu propósito e tornam a jornada mais interessante, focada num legado. Essas pessoas, quando suas histórias terminam, ganham muitas continuações através de algumas ou muitas histórias. Einstein deixou seu legado. Gandhi. Jesus. E você? E eu?

De volta ao lance de carregar muito peso, durante um ano sabático que tirei, concluí que não precisamos de muita coisa além de água, comida e abrigo. Tudo além disso é, de alguma maneira, excesso de bagagem. Não, não sou ateu - estou longe disso, inclusive.

Uma vez o sábio Rei Salomão disse que “tudo é vaidade e um esforço para alcançar o vento”. Hoje, refletindo sobre esse montão de cargas que deixei pelo caminho, entendo melhor as palavras do filho de Davi. Todo mundo tem seus excessos de carga que ficaram no caminho, vamos ser honestos por aqui.

Será que você vai ter coragem de diminuir o peso pra seguir viagem?

Wesley Brasil – Opinião
15/02/2016, 10:10 am

Ah, a propósito, eu peguei Zika em janeiro

- • -

Resumindo: a gente tá ferrado

Wesley Brasil – Cultura & Arte
2/02/2016, 10:00 am

O que o (im)possível fim do Sarau V pode representar pra cultura da Baixada?

- • -

A gente precisa dar uma refletida sobre o assunto

Wesley Brasil – Opinião
1/02/2016, 9:25 am

O carnaval e a desculpa esfarrapada da crise financeira

- • -

Quando a preguiça de administrar fala mais alto

Wesley Brasil – VOZ DAS COMUNIDADES
27/01/2016, 10:27 am

O esculacho nos muleques na Saara foi um tapa na cara da sociedade

- • -

Quem anda na madrugada do Rio sabe que a coisa não é fácil. Não estou falando da saída daquela boate bacana: estou falando da rua mesmo, aquela onde a gente sabe que a pista tá salgada, que o esculacho pode estar na próxima esquina. Já andei muito pela Saara, voltando da Lapa. O fato de serem...

Wesley Brasil – Guia
18/01/2016, 11:00 am

Baixada Fluminense terá 46 salas de cinema até o final de 2016

- • -

Inaugurações de shoppings aumentarão oferta na região

Wesley Brasil – VOZ DAS COMUNIDADES
15/01/2016, 4:24 pm

Estamos transmitindo a mensagem errada e precisamos parar

- • -

Da mídia ao dia-a-dia, o que define nossa realidade é aquilo que nos cerca Sim, é meio, ou melhor muito óbvio dizer que a nossa realidade é aquilo que nos cerca. Convido você, leitor, a se debruçar dois minutos sobre isso com seriedade. Sinceramente seria muito bacana termos a habilidade de Hurricane, aquele lutador negro interpretado por...

Wesley Brasil – SB Notícias
14/01/2016, 5:12 pm

“Vem pra Baixada”: Primeira temporada é liberada na internet

- • -

Programa de TV apresenta a Baixada Fluminense como destino para cultura e entretenimento

Wesley Brasil
12/01/2016, 1:27 am

Lágrimas de pelúcia

- • -

Sentada na beira da cama, Berenice tenta inutilmente secar as lágrimas que não param de descer de seus olhos já inchados de tanto chorar. É noite e todos dormem.

O cobertor bordado com rendas, branquinho como sua pele frágil e cabelinho ruivo combina com as paredes claras, que disfarçam sua cor na escuridão do quarto frio. Tapete bonito, aquele ali no chão - parece até veludo.

Entre soluços e mãos cobrindo o rosto, Berê só chora. Se entrega à tristeza profunda de uma moça tão cheia de sonhos e lotada de decepções. Sonha ser feliz. Conta seus segredos pro urso de pelúcia, que a observa sem entender nada. Por que tanta dor, Berê? Quem fez isso contigo?

“Ninguém me entende”.

Sem ninguém pra conversar, a menina tenta inutilmente controlar seu surto. Só repete, entre um soluço e outro, a frase mais repetida por mocinhas tristes em toda a história da terra. Ela só quer o abraço carinhoso de alguém que não pretende entender suas lágrimas, não planeja nada além de fazer-lhe companhia.

O urso continua estático, aguardando pacientemente ser abraçado. Age como um verdadeiro amigo deve agir na hora da tristeza.

Wesley Brasil – SB Notícias
11/01/2016, 1:00 pm

Mais de cem mil pessoas vivem abaixo da linha da pobreza na Baixada Fluminense

- • -

No total, quase meio milhão de pessoas vivem com até R$140 ao mês

Wesley Brasil – Cultura & Arte
11/01/2016, 12:36 am

“Os 8 odiados” passa longe das telonas da Baixada Fluminense

- • -

Tá complicado ver um não-blockbuster no cinema, mesmo que ele seja dirigido pelo Tarantino

Wesley Brasil
9/01/2016, 11:23 pm

"A vida se trata de arrependimentos. Cabe a nós apenas escolher quais queremos ter."

- • -

“A vida se trata de arrependimentos. Cabe a nós apenas escolher quais queremos ter.”

Wesley Brasil
9/01/2016, 11:20 pm

"Dinheiro não tem misericórdia."

- • -

“Dinheiro não tem misericórdia.”

Wesley Brasil – SB Notícias
9/01/2016, 2:33 pm

Baixada Fluminense terá manifestações contra o aumento das passagens de ônibus

- • -

Nova onda de protestos populares vai pressionar governos estaduais e municipais

Wesley Brasil
9/01/2016, 3:11 am

"O amor é o estado mais anárquico do ser humano."

- • -

“O amor é o estado mais anárquico do ser humano.”

Wesley Brasil – VOZ DAS COMUNIDADES
6/01/2016, 10:19 am

Sim, Rio, você me deve até a sua alma

- • -

Sua elite branca só quis me sabotar, então precisamos trocar uma ideia séria sobre isso Conheci o Centro do Rio aos 15 anos de idade. Foi uma tarde incrível, onde vi obras de arte de grandes artistas pela primeira vez. Como a maioria dos moleques criados na Baixada Fluminense, não fazia ideia que existia algo...

Wesley Brasil
5/01/2016, 11:34 pm

Pra casar

- • -

Acredito cegamente na ideia de encontrar aquela moça “pra casar”. Machista! Sou não, peraí, sou o penúltimo romântico - o último é o Delano.

Com que tipo de pessoa você quer passar o resto da sua vida? Com quem você conseguiria acordar sorrindo numa segunda-feira de inverno e ver que vale a pena encarar aquele trânsito infernal e o chefe insuportável?

Entenda: “pra casar” não é a mulher que sabe cozinhar. É aquela que vale a pena cozinhar. É aquela que te faz fazer coisas que não faria ou fazer com excelência aquilo que você faria.

Talvez a sua mulher pra casar use dreadlocks e curta uma praia. Talvez a do cara aí do lado seja uma engenheira especializada em física, porque você é fã de Star Wars e fica maravilhado com a maneira como ela explica os segredos do universo.

Em tempos de amores descartáveis, acredite, ainda dá pra encontrar alguns feitos pra durar.

Pra mim, mulher pra casar tem gostos bem peculiares. Ela sabe quem foi Nina Simone sem ter ouvido falar dela pela primeira vez numa chamada do Netflix. Ela não tem preconceito com funk. Gosta de ver filme agarradinho mas também gosta de som alto.

E o lance do fogão?

Tem homem apaixonado por cozinhar. Esse cara não vai querer uma mulher na sua cozinha, não é mesmo? Tem uns que são preguiçosos. Esses não vão nem querer mulher.

Consigo imaginar aquela tarde de outono, nós dois fazendo a janta. Eu preparo o molho e ela prepara a massa. Eu cuido do queijo e ela do tomate. Eu escolho o vinho e ela a sobremesa.

Parceiragem.

Vai ver, todo cara quer encontrar aquela moça gente fina - e a ideia de “gente fina” pode ser muito relativa. Tipo física. Tipo a mina do Star Wars.

Aquela que te deixa “feeling good”.

Wesley Brasil – Guia
4/01/2016, 7:00 am

Confira a lista dos maiores festivais da Baixada previstos para 2016

- • -

Da música ao teatro, passando pelas artes visuais, a Baixada mostra sua força através de Festivais gratuitos

Wesley Brasil
4/01/2016, 5:02 am

Conspiração do universo

- • -

Definitivamente não faço a menor ideia do que vai sair daqui pra frente. Depois de muito tempo pensando, tomei uma decisão importante pra toda a minha vida e resolvi acreditar na possibilidade de ser um escritor.

Talvez você já se prepare: “é, lá vem livro por aí”. Que nada. Apesar de eu ter uma ideia de livro (romance) e uma para uma biografia (que não, não é a minha hahahaha), não tenho a menor previsão de escrever um livro.

Pra piorar a situação, a turma que escreve mais próxima de mim é a da poesia. Mandam bem, fazem saraus, participam de coletâneas, da bienal do livro… E eu aqui, um dos poucos da crônica, comemorando que finalmente consegui o tumblr com meu nome. Finalmente o “wesleybrasil.tumblr” que sempre sonhei.

De alguma maneira o universo conspira. Não estou falando de astros, de crenças complexas nem nada disso. Na real, esse papo beira a conversa de botequim depois da quinta rodada. Acredito que de alguma maneira as coisas convergem, saca?

Já vivi um bocado pra quem tá chegando nos 30. Já venci com louvor e já fui derrotado fragorosamente. Estou me referindo, querido leitor, a todos os campos da vida. Todos. Do emocional ao financeiro, do espiritual ao familiar. Já tive até ano sabático.

É como se eu tivesse sido agraciado com experiências de vida totalmente desconexas que no fim das contas estão completamente relacionadas por elos que ainda não consigo enxergar. Coisas acontecem. Diante disso tudo, só tenho uma certeza:

Tô aqui pra contar histórias.

P.S.: A partir de agora vou compartilhar algumas impressões, ensaios e crônicas avulsas - tanto em primeira quanto em terceira pessoa. Será um prazer ter leitores. Minha página no Facebook é fb.com/wesleybrasil

Wesley Brasil
4/01/2016, 1:34 am

Um copo em uma casa

- • -

O café servido em copo de whisky ainda fede a bebida da noite anterior. Amargo, parece descer a garganta usando a escada. O elevador hoje parece não querer funcionar.

Desce.

Mais uma manhã solitária com restos de comida pelo chão. Ribamar olha em volta, já não se lembra como fez o café, quanto mais como foi parar naquela cozinha que lhe parece tão familiar. Família.

Barulho de criança vindo do quintal. Duas, talvez três, que se misturam ao som de pássaros. Porque pombo também é pássaro e os filhos do vizinho também são gente.

Quando olha a foto sobre a estante, percebe que entrou na casa errada.

Wesley Brasil – Opinião
31/12/2015, 6:19 pm

Aquele Wesley podia ser eu

- • -

E ele não virá aqui contar sua história

Wesley Brasil – VOZ DAS COMUNIDADES
2/12/2015, 11:38 pm

A ação vale mais que um like

- • -

Toda semana, de segunda a quarta, é o mesmo perrengue: qual será o assunto da coluna no Voz da Comunidade? Como posso usar minhas palavras para inspirar alguém? Como usar essa plataforma (inter)nacionalmente conhecida para dizer algo relevante para o nosso país? Minha dúvida não é só minha. Na busca pelo discurso mais tocante, um...

Wesley Brasil – Opinião
1/12/2015, 11:09 am

As mazelas da Baixada Fluminense não deveriam ser motivos para piadas

- • -

O buraco na rua, a falta de médicos, a imprudência no trânsito... Nada disso deveria te fazer rir

Wesley Brasil – Cultura & Arte
30/11/2015, 11:45 am

O Meeting Of Favela me fez entrar pra cultura hiphop

- • -

O maior encontro voluntário de arte urbana do mundo é a verdadeira faculdade de hiphop pra quem se envolve

Wesley Brasil
23/11/2015, 3:14 am

Família dominical

- • -

Quatro mesas, quatro famílias. Do lado de fora do restaurante, Ribamar observa os sorrisos felizes, os casais apaixonados e as crianças inquietas, batalhando pela atenção de seus pais.

É domingo.

Como de costume, está bêbado. Mas dessa vez o estômago clama por descanso, se possível comida. Restaurante lotado.

Debaixo de sol, aquele mar de felicidade entre as mesas só piora a embriaguez. O casal lá do fundo troca olhares entre um garfo e outro. Sorrisos de canto de rosto intercalam pequenas frases eventualmente interrompidas por gargalhadas. Vai ver, é até amor. Na mesa ao lado, perto da janela, dois velhinhos saboreiam o almoço. Não têm pressa, não precisam mais se conhecer com palavras como antigamente e deliciam o ato de viver. Juntos.

Na frente de Ribamar, perto da porta, uma família se diverte. São três crianças, um pai e uma mãe. Parecia comercial de margarina, não fosse a pele escura de cada um deles.

Se escorando na porta, acompanhado de um saco vazio de papel na mão esquerda, Ribamar observa cada gesto em câmera lenta. Por um instante pensa em parar de beber, fazer a barba, ajeitar os dentes e procurar um grande amor. Mas agora não dá, seu pedido chegou.

Mais duas garrafas de pinga pra levar no saco de papel.

Wesley Brasil – VOZ DAS COMUNIDADES
11/11/2015, 10:10 pm

A favela é a crise existencial do Brasil

- • -

Todo mundo já viveu aquela fase de mudanças de comportamento depois de um período de reflexões profundas. Questões como ‘quem sou?’ e ‘o que eu tô fazendo aqui?’ são comuns em algum(ns) momento(s) da vida. De fato, uma crise existencial pode ser revigorante. É uma oportunidade única para reavaliar os rumos da vida, refletir sobre...